Incríveis Aventuras de Kavalier e Clay, As

Historical fiction by Michael Chabon
We can tell you if you would like this book! Take the tour to see how it works!

Blurb

As Incríveis Aventuras De Kavalier E Clay conquistou público e crítica com uma receita simples e rara: trama e estilo impecáveis. O livro conta a história de Joseph Kavalier, um fã judeu de Houdini, que usa suas habilidades para escapar de Praga. Kavalier se esconde no caixão que leva os restos do Golem, legendário monstro de barro feito por um rabino, para Nova York. Lá, nosso herói se une ao primo Sammy Clay na busca por dinheiro e liberdade. Do talento para desenhar de Kavalier e da habilidade de Sammy para contar histórias nasce um novo personagem de quadrinhos: o sensacional Escapista (numa clara alusão a Houdini). O herói, e seu alter-ego - Tom Mayflower -, combate o crime e protege os oprimidos com a ajuda da bela Luna Moth, inspirada numa artista local chamada Rosa Luxemburgo, que desperta o interesse dos dois cartunistas. Tudo isso enquanto seus criadores se confrontam com seus próprios fantasmas. Kavalier e sua sede por poder e dinheiro, e Sammy e sua recém descoberta homossexualidade. O nome de Escapista tem aqui sua verdadeira razão. A religião, a sexualidade, o gênero e a raça podem ser potentes prisões e para escapar de suas barras é necessário, quase sempre, se expor. As Incríveis Aventuras De Kavalier E Clay é, também, um livro preocupado com temas sóbrios. Como os significados e mecanismos da assimilação cultural, a procura por identidade moral e emocional num mundo recheado pela indiferença e o papel da transformação desempenhada pela cultura de massa nos indivíduos.[...]

First Published

2000

Member Reviews Write your own review

ewmunn

Ewmunn

This book had an affectionate energy which amazed me. Neither of the principal character's stories flagged at any point in the book, and their transformations are genuine and organic. The ending was about the best ending such a book could be given. Without giving anything away, Chabon revels in participating in the rich tradition of leaving readers uncertain of where and when the story ends, and executes it with the same grace present in the first four acts.

0 Responses posted in January
Log in to comment